Com o objectivo de tentar acabar com a mendicidade, socorrer os pobres envergonhados, fornecer albergue temporário aos indigentes, proporcionar alimentação e transporte para as suas terras aos mendigos estranhos à cidade, elaborar com a possível exactidão a relação dos pobres do concelho, para ser possível melhorar a sua situação, mater uma Cozinha Económica para fornecer refeições a preços módicos às classes proletárias e mais tarde a instalação de um Lactário para fornecimento de leite e assistência às mães carenciadas, foi a 1 de Maio de 1934, constituída a Comissão Fundadora e Instaladora da Casa dos Pobres de Guimarães e a 2 de Outubro do mesmo ano eleito o Corpo Directivo.
Como esta Instituição nasceu de uma conjugação de vontades e esforços entre a autarquia e a sociedade civil ficou escrito nos primeiros Estatutos que o Presidente da Câmara e o Administrador do Concelho ocupariam por inerência dos seus cargos os lugares de Presidente a Vice-Presidente da Direcção respectivamente, o que aconteceu até 1968. José Francisco dos Santos e António José Pereira Lima foram os primeiros a ocupar aqueles cargos directivos.
Pelas várias direcções executivas passaram figuras importantes de cidadãos vimaranenses. Se nos fosse permitido salientávamos João Teixeira de Aguiar pela dedicação com que ao longo de anos serviu a Instituição.

 

Na Direcção presidida por António Xavier realizaram-se dois grandes acontecimentos:
1. A 17 de Março de 1974 a Casa dos Pobres de Guimarães passou a chamar-se Lar de Santo António.
2. A 26 de Novembro de 1977 foi feita a escritura de compra da Casa do Salgueiral para aí se instalar a residência dos utentes internos do Lar de Santo António.
Foram conseguidas as primeiras verbas para o efeito assim como o primeiro projecto. Passou-se da primitiva ideia do albergue para a construção de um lar numa moradia com situação excepcional.
Maria Manuela Folhadela de Melo da Costa Guimarães eleita em 24 de Abril de 1983 fez talvez da construção da nova sede a prioridade da sua acção directiva e em boa hora assim foi porque a 25 de Setembro de 1985 viu concretizar o que parecia um sonho, a inauguração da casa do Salgueiral cujas condições de habitabilidade ultrapassam tudo o que os fundadores desta instituição poderiam imaginar.
Em 16 de Setembro de 1995 entrou em funcionamento um novo espaço destinado a “Grandes Dependentes” pavilhão denominado “O Samaritano”.

 

Desde então o Lar de Santo António dispõe no Salgueiral de:
Lar de idosos – 82 – Centro de Dia – 10 utentes – Apoio domiciliário – 24 utentes
Na Rua Donães:
Centro de Dia – 15 utentes – Centro de Convívio – 10 utentes
Refeições aos passantes – 45 utentes – Balneário e tratamento de roupas

 

Parecia que tudo estava realizado, mas não podendo ficar indiferente aos problemas dos nossos utentes que em grande percentagem dependem de tratamento de fisioterapia resolveu-se construir de raiz um pavilhão com esta finalidade.
A Fisilar (Clínica de Fisiatria do Lar de Santo António) é uma realidade estando aos serviços dos nosso utentes e da população de Guimarães, dado sermos convencionados pelos Serviços de saúde.
Em 22 de Fevereiro de 2005 toma posse uma nova direcção presidida pelo Sr. António Xavier que vem dando continuidade aos trabalhos.